Helium Core – Um Rig profissional para iPhone

O “Helium Core” é um projeto desenvolvido por Brandon Hoe e que teve início há cerca de dois anos. Segundo Brandon, seu principal desejo era tornar o iPhone uma ferramenta melhor para vídeo e fotografia.

Ele utilizou sua experiência em sets de gravação para conseguir definir o que seria um cage “profissional” dos vários outros que já existiam no mercado. Com isso em mente, ele buscou um produto com estas características:

  • Confiável
  • Menor tempo de configuração possível
  • Precisão
  • Boa ergonomia
  • Resistente ao tempo
  • Versátil e adaptável

Confiança

Durante suas pesquisas uma coisa que todos os profissionais questionados disseram ser uma característica que eles veem como “profissional” em equipamentos é seu grau de confiabilidade, afinal, não adianta ter um produto complexo, mas que não funciona.

Por isso, a construção do “Helium Core” foi baseada em sua simplicidade com duas partes principais: uma placa superior e um chassi inferior feito com alumínio, o que diminui o risco dos parafusos anexados ao chassi se soltarem.

A escolha pelas “costas” abertas da placa foi para evitar qualquer acúmulo de calor gerado por gravações 4K e altos bitrates, o que poderia gerar um degradação na imagem.

fonte: heliumcine.com

Rápido tempo de configuração

Quanto ao tempo de configuração, havia dois pontos essenciais:

  • Ser rápido e fácil para inserir o iPhone e ser seguro para o aparelho
  • Alinhar a câmera do iPhone com a bocal da lente automaticamente

Segundo o post no blog do produto, o design foi capaz de obter os dois objetivos, alinhando o bocal de lente de 37mm automaticamente, sem necessidade de ajustes posteriores.

Precisão

No quesito precisão foram trabalhados dois pontos principais:

  • O bocal da lente
  • A posição do bocal em relação ao tripé

A precisão no alinhamento do bocal da lente é importante para proprietários de equipamentos como o adaptador anamórfico Moondog Labs e Exolens Prime da Zeiss.

Fonte: heliumcine.com

Quanto à posição em relação ao tripé, a ideia foi manter o centro alinhado à lente, gerando o resultado de uma pan verdadeira ao girar o celular. É importante salientar que as lentes presentes na maioria das imagens não são parte do cage, sua imagem sem a adição de lentes extras é como abaixo.

Fonte: heliumcine.com

Ergonomia

Parece que o principal ponto “nativo” do cage com relação à ergonomia é seu tamanho um pouco maior, mas seu principal trunfo são os espaços para parafusos ao redor da armação.

Desta forma é possível anexar alças e qualquer coisa que facilite as gravações com o aparelho, principalmente por períodos de tempo prolongados. A imagem abaixo é de um dos apoiadores do kickstarter.

Fonte: heliumcine.com

Design e Durabilidade

Quanto ao design a ideia foi obter estes três pontos principais:

  • Manter as coisas simples
  • Assegurar que o iPhone estivesse sempre seguro e no lugar certo
  • Assegurar um posicionamento consistente do iPhone no case, para haver o alinhamento da lente.

Versatilidade

O entorno do case possui entradas para parafusos 1/4-20, o que o torna adaptável a vários outros equipamentos para iPhone. Como nas fotos abaixo, enviadas por usuários.

Fonte: heliumcine.com

Fonte: heliumcine.com

Facilitando Gravações

O cage é interessante exatamente pelo acabamento mais profissional, apesar de celulares ainda não serem usados como câmeras principais em gravações profissionais (a menos que a linguagem ou escolha da direção seja essa), a peça vem facilitar um dos pontos mais difíceis de se trabalhar com eles, que é anexar equipamentos e outras ferramentas ao aparelho.

Com essa inovação há um salto na qualidade das imagens captadas, que agora podem estar estabilizadas em tripés e com outros periféricos conectados como microfones, pequenas luzes de apoio, etc. Claro, celulares ainda não são ou serão equipamentos profissionais por algum tempo, mas é sempre bom poder contar com uma câmera extra dentro do seu bolso.

Deixe seu comentário

comentários

Tagged under: , , , , , ,

Pin it

Graduado em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos, já passou por diversos ramos da comunicação e atuou no Brasil e Canadá. Atualmente trabalha em São Paulo onde executa as funções de filmmaker e editor.

Back to top
[i]
[i]