Sphere – Grave 360° na sua própria câmera

A “Sphere” captura imagens em 360º sem espaços vazios, necessidade de gerenciar múltiplas câmeras ou problemas na junção dos planos. A lente é compatível com a maioria das câmeras no mercado e pode ser uma boa opção para alguns nichos específicos, veja um dos “reels” da empresa.

As configurações da lente são:

  • Câmeras compatíveis: RED, Nikon, Sony, Panasonic e, teoricamente, qualquer câmera com lente intercambiável.
  • Bocal: Nikon F
  • Abertura: f/8 (fixa)
  • Foco: Fixo, melhor ponto a 40″ (ou 1m)
  • Formato: 35mm Full Frame
  • Campo de Visão: 360° horizontais x 180° verticais
  • Resolução: depende do sensor da câmera (a esfera toda é gravada em um círculo no sensor, então a resolução é baseada na menor dimensão do sensor)
  • Dimensões: 198mm x 150mm
  • Peso: 1,8kg

Na sequência traduzimos alguns depoimentos de Rob Englert, um dos responsáveis pela empresa, que podem ser conferidos no post original (em inglês) clicando aqui.

“Começamos fazendo filmes com estruturas para GoPros que fizemos em impressoras 3D em nosso escritório, mas nós sabíamos que deveria haver uma forma mais interessante de lidar com os arquivos das câmeras e a junção das imagens e foi quando tivemos nosso momento de inspiração para criar o que é, essencialmente, uma lente olho de peixe esférica.


A lente da Sphere permite aos usuários que estão gravando conteúdo convencional entrarem de maneira rápida e fácil na gravação de conteúdo imersivo, a pessoa pode gravar conteúdo convencional e então colocar a Sphere e rapidamente gravar conteúdo esférico, a maior parte do conteúdo atualmente é consumido em aparelhos pequenos, acho que o número chega perto de 85%, originalmente desenvolvemos o sistema para a Sony A7s2 por causa da sua capacidade com pouca luz e possibilidade de gravar em 4K. O fato da GH4 permitir 4:3 (ou 1:1) nos permitiu colocar um pouco mais de resolução, mas, infelizmente, ela acaba gerando um pouco de cropping.
Quando a lente é usada em câmeras com sensores menores (Super 35, APS-C, etc) um adaptador óptico (focal reducer) como o Speedbooster da Metabones é necessário para encolher o círculo da imagem, atualmente temos de converter nossa projeção nativa para o padrão equiretangular que é usado nos players 360°, nosso processo nativo é simples o bastante para ser executado por um smartphone em tempo real.
Nós vemos a lente como ideal para jornalismo ou documentários por causa do seu tamanho e habilidade de compartilhar rapidamente conteúdo imersivo, a conveniência de poder compartilhar o conteúdo rapidamente deve se sobrepor à resolução logo. “

A aposta da empresa fica exatamente na praticidade apresentada pela lente e não necessariamente na resolução, baseada nos números de utilização de smartphones para consumo de conteúdo essa parece ser uma boa aposta. Por enquanto a lente está no início da sua produção e pode ser alugada no site da empresa, ainda não há informações públicas sobre valores para a compra.

Deixe seu comentário

comentários

Tagged under: , , , ,

Pin it

Graduado em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos, já passou por diversos ramos da comunicação e atuou no Brasil e Canadá. Atualmente trabalha em São Paulo onde executa as funções de filmmaker e editor.

Back to top
[i]
[i]