Como remover fungos de uma lente

O americano Tom Leonard é dono do blog “Out for 30” dedicado a sua paixão por fotografia, conseguimos sua autorização para traduzirmos um artigo muito interessante onde ensina passo a passo como limpar uma lente atingida por fungos, o link para o artigo original pode ser acessado aqui.

Antes de partirmos para o artigo são importantes alguns lembretes: apesar de não ser muito complexa, a limpeza irá variar de acordo com a estrutura da lente, por isso o ideal é começar com lentes simples e que, inclusive, você não faça questão de perder.

Caso seu problema seja com uma lente complexa e você não goste deste tipo de trabalho ou não possa arriscar perdê-la, procure por uma laboratório profissional para ajudá-lo. Mais do que uma forma de economizar, restaurar lentes deve ser algo prazeroso, caso contrário a chance de se frustrar é  muito grande.

Por fim, ele utiliza substâncias como amônia que podem causa irritação nos olhos e nariz, apesar de manipuladas em quantidades pequenas, leia sempre as instruções dos fabricantes e faça sua restauração em local arejado.

Agora é só aproveitar o conhecimento dividido por Tom neste passo a passo de como restaurar uma lente com fungos.

Como remover os fungos de uma lente

Não há nada mais frustrante que descobrir que as lentes que você possui estão com fungos nos elementos internos, estes fungos são mais comuns em lentes antigas e não há distinção de marca, qualidade de construção ou preço, se há umidade na sua lente por muito tempo o temido fungo poderá surgir.

Falei com várias pessoas que compartilharam suas tentativas de limpar as lentes utilizando limpadores específicos e panos, deixe-me economizar algum tempo para você: não dá para remover fungos de uma lente com a solução padrão de limpeza. Álcool, fluído de isqueiro e etanol (vodka) também não funcionam, uma combinação destes elementos com muito trabalho manual apenas resultará em riscos, danos ao revestimento da lente e frustração.

Hoje quero compartilhar com vocês um jeito simples e sem danos de remover fungos das suas lentes, se você estiver disposto a se esforçar um pouquinho e tentar algo novo poderá remover aquele destruidor de lentes e talvez trazer de volta à vida uma belezinha clássica da sua coleção. Aqui temos uma lista de ferramentas e materiais que você precisará para fazer o trabalho:

Lens Spanner – Comprei o meu aqui por $ 16,50, não há como substituir essa peça sem causar danos. (Em português é possível encontrá-la como chave para manutenção de lente fotográfica ou chave spanner, mantivemos o texto em inglês por dar mais opções de compra e pesquisa aos nossos leitores.)

Jogo de chaves de fenda “JIS” – Para lentes feitas no Japão você precisará de um jogo de chaves de fenda no padrão industrial japonês (JIS – Japanese Industrial Standards), elas se parecem com uma Philips com a cabeça em cruz, mas com algumas diferenças. A profundidade da ponta é única para a cabeças de parafusos feitos no “JIS” e tentar usar outra coisa pode gerar resultados ruins, comprei um bom jogo feito nos EUA aqui por cerca de $15.

Lâmpada de mesa – Uso dois braços curvados: um contém um LED spot que possui uma luz forte e direcional e o outro é uma lâmpada LED múltipla com um difusor que fornece luz livre de sombra, a IKEA é um ótimo lugar para achar esse tipo de coisa. (No nosso caso o Mercado Livre ou lojas especializadas em grandes centros podem oferecer alguns opções).

Pratos de festa – Comprei um pratinho branco em uma loja local.

Prato para imersão – Acho que paguei $3 por uma tigela cerâmica pequena.

Pinças – Qualquer uma que tiver.

Luvas médicas – Elas irão prevenir que seus dedos fiquem ressecados pela solução para matar fungos e ajudarão a manter os elementos de vidro limpos enquanto são manuseados.

Peróxido de Hidrogênio – A famosa “água oxigenada”.

Amônia para uso doméstico – Paguei alguns dólares em um mercado por mais de três litros dessa coisa, tente achar uma amônia que não contenha perfume. Usei tanto a perfumanda quanto a sem perfume e não percebe nenhuma diferença na performance, mas qualquer químico extra em contato com o revestimento suave das lentes me deixa tenso.

Bolas de algodão

Pano para lentes de microfibra – Ele precisa estar extremamente limpo, não utilize um que você carrega no bolso ou bag da câmera, qualquer poeira ou óleo da sua pele irá parar nos elementos internos da sua lente deixando-o frustrado e com a impossibilidade de terminar um trabalho impecável. Mantenho meus panos de restauração em sacos plásticos a vácuo e os troco regularmente.

Borrifador para lentes – Uso um Giotto Rocket Air Blaster de $10 que comprei aqui.

Uma xícara de café (com cafeína) – Você escolhe o sabor.

Música – Recomendo Tokyo Adagio de Charlie Harden ou Blue in Green de Alan Broadbent.

*** Todas as fotos foram tiradas com um iPhone ****

Tudo certo? Então vamos lá! Para este post eu comprei em uma lojinha de câmeras local uma Konica Hexanon AR 40mm f/1.8.

01

A primeira vista você pensa “hum, não está nada mal”.

02

Mas é só jogar um pouco de luz que descobrimos que ela possui um caso grave de fungos na parte traseira da lente, este é o pior lugar possível para ocorrer, pois afetará a imagem de qualquer forma. O fungo não está na parte externa do fundo, está entre dois elementos dentro da lente.

03

Hora de botar pra quebrar, é quase certo que sua lente não estará tão ruim quanto a minha, mas o processo será praticamente igual, principalmente se a sua lente é antiga com foco manual e japonesa. Eu sugiro que você use sua câmera (smartphone) para documentar cada passo do processo, dessa forma terá referências para mais tarde quando estiver montando a lente. Utilizando minhas chaves de fenda “JIS” eu removi os quatro parafusos que seguravam a parte de trás cromada.

04

Após remover o encaixe da lente o anel do diafragma estará livre para sair do corpo dela. Não foi necessário remover o diafragma para ter acesso aos elementos traseiros da lente, mas achei que devia aproveitar para limpá-lo também enquanto estava com todas as ferramentas em mãos.

Um conselho: entre o diafragma e o corpo da lente há uma pequena bola de metal que possui sempre algum tipo de mola atrás dela que está esperando para lançar essa bolinha para longe. É possível dizer onde a bolinha está localizada pelo número de chanfros dentro do anel, quando você gira o diafragma de uma lente, o clique que você sente entre cada ponto vem da interação entre essa bola e os chanfros. Sugiro que coloque sua mão sobre aquela parte do diafragma conforme você o retira do corpo da lente. No meu caso havia tanta sujeira no local que a bolinha ficou segura no lugar.

05

Após remover o diafragma foi possível limpar a parte de trás do corpo da lente, eu recomendo ir fazendo algumas limpezas preliminares, isso ajuda a evitar que a essa bagunça chegue a outras partes da lente conforme você a desmonta.

O “lens spanner” é uma ferramenta simples, ele possui duas barras as quais devem ser ajustadas de acordo com a largura do anel que você planeja remover. Os parafusos com ranhuras podem ser ajustados com a mão e possibilitam travar a abertura dentro de uma distância necessária.  Esse spanner da foto possui tanto finais retos quanto pontiagudos. Esta lente possui um par de chanfros dentro do anel de retenção, os finais retos do spanner são usados para remover este tipo de anel.

06

O anel de retenção é então removido, liberando os elementos da parte de trás da lente. Há vários formas de remover as lentes: vire a lente de ponta cabeça na palma da sua mão para ver se assim ela cairá, na maioria das vezes isso funcionará. Se ela não sair você pode reinstalar o anel de retenção e utilizar um objeto sem corte e que não seja de metal para gentilmente dar uma batidinha na lateral dela, apenas o suficiente para começar um movimento. No pior caso que já passei tive de virar a lente, remover todos os elementos da parte frontal dela, abrir totalmente as lâminas do diafragma e usar uma peça de silicone macio para pressionar a parte de trás através do interior da lente. Só tive de fazer isso uma vez na vida, então não desanime, apenas quero prepará-lo para esta possibilidade.

07

 No caso desta lente o elemento da parte de trás caiu na minha mão, é uma peça de vidro muito fina e que quebraria facilmente. Eu uso uma parte de tecido macia ou um lenço para lentes para colocar todos os anéis e vidros na ordem em que foram removidos. Fique atento se os vidros são côncavos ou convexos, assim você não ficará em dúvida quando começar a remontar tudo, fotos de smartphones são a melhor forma para isso em minha opinião. Ok, agora veja essa foto bem de perto, é possível ver que o vidro que ainda está na lente é o afetado pelos fungos. A primeira peça que retirei possui alguns traços dele, mas nada como este, vamos tirar isso tudo daqui!

08

A construção dessa lente pede um anel espaçador entre o elemento mais atrás e o elemento mais profundo nela, para removê-lo basta virar a lente sobre a sua mão. Pode ser preciso dar uma batidinha na frente da lente para remover todo o elemento. Tome cuidado, pois algumas vezes os elementos internos virão junto com ele, neste caso não aconteceu, mas se você sentir mais de um elemento caindo na sua mão, CONGELE. Coloque o resto da lente na mesa e cuidadosamente veja o que há na sua mão, assim como a orientação de cada detalhe. Depois coloque cada peça em cima do seu pano, garantindo que nenhum outro metal ou outras peças de vidro toquem nos elementos. Os elementos internos podem ter revestimentos muito suaves e que riscam facilmente, um pequeno arranhão não é o fim do mundo, mas é melhor sempre tentar evitá-los.

09

Aqui nós temos o elemento interno da parte de trás com todos os fungos, ele cobre basicamente toda a superfície do vidro. Vê aquela parte preta que cobre o entorno do vidro? Algumas vezes aquela coisa pode se desfazer ou soltar quando você coloca o elemento na solução. Esse revestimento preto está ali para reduzir reflexos internos, se ele começar a sair durante a restauração eu recomendo remover tudo que estiver saindo e reaplicá-lo. Eu tive bastante sucesso com uma canetinha preta (sharpie), a borda do vidro não é polida então a tinta da caneta fixa muito bem ali. Eu geralmente o aplico de duas a três vezes para garantir um bom acabamento, você pode utilizar uma luz forte e direcional para lançá-la pelo meio da lente e ver se há algum ponto em que esteja faltando. Uma vantagem da caneta (sharpie) é que ela não vai adicionar nenhum diâmetro ao vidro, então você não terá nenhum problema para colocá-lo de volta.

1011

Vamos para a parte legal: remover os fungos.

Tenho algumas seringas que utilizo para medir a quantidade de solução, mas isso não é necessário, nossa solução é feita de partes iguais de peróxido de hidrogênio e amônia. No passado eu usava a tampa da amônia para medir as quantidades dos dois compostos, use luvas e óculos caso possa e garanta que está trabalhando em uma área ventilada, os vapores da amônia são bem fortes. Para cada porção de um, coloque uma porção do outro, não tem erro. Para este projeto eu só precisei de 5ml de cada um, totalizando 10ml de solução, misture-os muito bem. Coloque lenços descartáveis para lentes na base do seu recipiente com a solução, isso irá proteger os elementos de qualquer arranhão enquanto estão imersos.

12

Coloque cuidadosamente o elemento na solução, deixe-o submerso por pelo menos dois minutos. Você poderá ver algumas bolhas enquanto a solução elimina os fungos, depois de alguns minutos de submersão use um algodão para limpar qualquer resquício de fungo, isso não deve exigir nenhuma pressão para sair, estamos removendo os fundos quimicamente e não mecanicamente. Se ainda houver fungo apenas coloque o elemento novamente na solução por mais um tempo. Já tive alguns fungos que precisaram de cerca de 20 minutos para serem removidos completamente (Uma Leica Summacron 3.5, se não estiver errado).

13

Depois de remover todo o fundo leve o elemento para uma pia onde poderá deixar água corrente sobre ele por um tempinho. Não esfregue a lente, apenas deixe que a água caia diretamente nela de ambos os lados. Depois de enxaguá-lo use seu borrifador para eliminar qualquer gota de água que ainda esteja na lente. Já sem a água, utilize o pano de microfibra limpo para levemente secá-la. Agora inspecione a lente sobre alguma luz, cheque ambos os lados e em diferentes ângulos para garantir que todo o fungo foi eliminado e não há poeira ou manchas no vidro. Se tudo estiver bem coloque-o em um pano microfibra limpo e o cubra para garantir que nenhuma poeira caia sobre ele, repita o processo de limpeza nos elementos restantes.

14

Na sequência eu removi os elementos da frente da lente também. Por que não, certo? Estava como todas as minhas ferramentas prontas, uma tigela de solução pronta e isso me possibilitaria analisar o diafragma também.

Usando o spanner eu removi a frente (dress ring) para expor os elementos do anel de retenção frontal.

16

Na sequência o anel de retenção foi removido.

17

Em um processo similar ao da parte traseira, eu removi todos os elementos do grupo frontal da lente. O vidro não tinha nenhum fungo, mas havia bastante poeira e sujeira. Eu dei sequência e banhei cada elemento na solução, seguindo todo o processo já feito após retirá-los.

18

Trabalhando de trás para frente agora, coloquei tudo junto. A frente da lente foi limpa e aspirada e inspecionei o diafragma, estava em condições perfeitas. Então reinstalei os elementos do grupo da frente, anel de retenção e parte frontal (dress ring). Veja como está linda e brilhante agora.

19

Depois eu reinstalei os elementos da parte de trás, limpos como cristal, como deveria ser.

20

Usando uma escova de dentes com sabão eu limpei tudo que estivesse neste diafragma. Uma camada fina de lubrificante (definido como #30 no Japão) foi aplicado para ajudar na movimentação das peças. Lubrificante de máquinas também funcionam, mas é preciso assegurar que seja para altas temperaturas, caso contrário em um dia quente de verão você corre o risco do lubrificante se tornar líquido e ser drenado por outras partes da lente.

21

Mergulhei a parte de trás da lente em uma solução de álcool 91% e dei uma boa limpada nela. Cada lente é um pouco diferente quanto a como a parte a interna do diafragma é construída.  Esta Konica tem toda a montagem dentro de um conjunto da própria lente. Algumas lentes não são construídas dessa forma e, na verdade, são uma coleção de partes separadas que devem ser removidas antes para livrar o encaixe. De qualquer forma, eles são bastante simples, consistindo de um anel de aba de metal que é mantido em tensão com uma mola(s). Se você tiver uma lente que requer a remoção dessa parte para limpar o encaixe da lente apenas trabalhe devagar e vá tirando fotos, não é nada absurdamente complexo.

22

Finalmente tudo junto e parecendo nova, o tempo total para esta limpeza foi de duas horas e um minuto. Isso inclui o tempo extra tirando fotos para este post.

23

É tão simples que até uma criança o faria, bom, pelo menos ele acha que consegue. Meu filho adora me  ver trabalhando com as lentes, ele parece um estudante cada vez que faço um projeto como este. Minha esperança é que ele se transforme em um “consertador de coisas”, nem que seja pelo prazer que isto traz. Minha esposa tirou essa foto da gente como seu celular, obrigado, querida! Amei ela!

24

Uma foto final da poderosa Konica Hexanon Ar 40mm f/1.8 colocada (através de um adaptador) em uma Sony A7RII.

25

Espero que este post tenha sido encorajador e ajudado, caso tenha qualquer dúvida, sinta-se à vontade para comentar e farei o melhor para ajudá-lo.

Post original:

A Fungus Among Us

Deixe seu comentário

comentários

Tagged under: , , ,

Pin it

Graduado em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos, já passou por diversos ramos da comunicação e atuou no Brasil e Canadá. Atualmente trabalha em São Paulo onde executa as funções de filmmaker e editor.

Back to top
[i]
[i]