Dicas para publicidade de alimentos

Gravações com comida não são nada simples de serem executadas, seja pelo fato de ser uma publicidade que precisa de comida feita especialmente para o vídeo (pois muitas vezes nossa comida não tem uma cara muita boa) ou mesmo gravações com comida utilizada e consumida por atores durante uma cena.

Ainda não acredita na diferença que a direção de arte e fotografia causam entre “comida de verdade” e “comida cenográfica”? Veja três vídeos do produtor Minhky Le e se espante com a diferença entre a comida feita naturalmente e a desenvolvida para publicidade:

A própria Canon, através da sua iniciativa Canon College dá algumas dicas em português para executar fotografias de comida e obter resultados satisfatórios:

E o canal “Edição Extra” também falou um pouco sobre a “maquiagem” que é aplicada a comida que será fotografada:

Já deu para perceber que nosso foco é a gravação de cenas com comida no estilo publicitário e para isso utilizaremos como apoio o vídeo do canal RocketJump Film School.

No vídeo é exibido o passo-a-passo de como preparar uma refeição muito popular nos EUA durante o Dia de Ação de Graças, um peru com vagens, purê de batata e torta de abóbora de sobremesa.

Conheça sua história

Leia o roteiro, converse com o diretor e entenda o que a comida representa naquela história, isso pode variar drasticamente, de uma zona de conforto a algo extremamente repugnante, isso apenas a história e o diretor dirão a você. A comida deve parecer simples e feita em casa? Deve parecer vinda de um restaurante caríssimo? Deve parecer feita pela sua avó na década de 60? Tudo isso será definido no processo de leitura do roteiro e pré-produção no caso de produções cinematográficas, já em publicidades o objetivo final costuma ser o mesmo: gerar vontade de consumir no espectador.

Conheça seu público

A forma como você apresenta a comida ao seu público irá afetá-lo diretamente quanto à história, então saiba quem irá assistir ao seu filme e como agradá-los ou chocá-los de acordo com o que foi pensado para o vídeo, este é um dos motivos para a publicidade seguir um padrão bem mais rígido, cada inovação ou mudança gera o risco muito grande de falha, geralmente quando se tem muito dinheiro do seu cliente envolvido, as pessoas preferem manter o que funciona e garantir o retorno.

Conheça seus planos

Mais uma vez a tríade da imagem trabalha em conjunto: direção, direção de fotografia e direção de arte trabalham de forma uniforme para conseguirem obter do plano tudo que foi pensado. Quanto mais conversa e diálogo entre os três responsáveis por estas áreas, melhores os resultados obtidos no set, então, caso possível, saiba com antecedência  a lista de planos, o que irá aparecer na tela e como isso será mostrado, essa pode ser a diferença entre um plano de alto nível ou não.

Conheça a comida

Muita pesquisa sobre os métodos de preparo de um prato serão essenciais para que o que é visto na tela seja verossímil, ou seja, conhecer como os pratos que você terá em cena são feitos é necessário para que sua apresentação não fique estranha ou mesmo incompreensível para a audiência, a menos que este seja o objetivo.

A gravação de um prato para um restaurante caro passará essencialmente pela construção desse prato com o visual que um chef faria, isso vai desde o simples corte de cebolas até a disposição final da comida, então saiba como a comida que está gravando é apresentada ao cliente final e não tenha medo de perguntar a um profissional (da cozinha) em caso de dúvidas.

Conheça seus problemas e soluções

O set de filmagem é bem diferente da cozinha da sua casa, planos podem demorar horas para serem feitos ou a luz quente pode derreter o que você preparou e para evitar isso várias técnicas foram aperfeiçoadas ao longo dos anos pelos profissionais responsáveis. Com sorte você aprenderá sendo assistente de uma equipe de arte, mas nunca se sabe quando a tarefa cairá no seu colo para realizá-la, então, esteja preparado.

Preparando uma refeição

No vídeo eles preparam uma típica refeição do Dia de Ação de Graças, onde o prato principal é o peru e por ser uma ave os resultados obtidos com ele são parecidos com outros animais de mesma estrutura. O primeiro ponto é que caso você o asse como faria naturalmente em casa, sua pele irá enrugar depois de fria, ficando com uma aparência ruim para o vídeo.

Para torná-lo apto a gravações a primeira coisa a ser feita é procurar lacerações na pele e utilizar super bonder para fechá-las, logo depois você deve usar alfinetes para prender a pele, dessa forma ela não se moverá ou encolherá ao longo do tempo. As asas também são coladas ao corpo da ave e óleo vegetal é aplicado em toda a pele para mantê-la úmida enquanto o peru é assado.

O forno foi aquecido a 350 graus por cerca de trinta minutos, com isso o peru não estará totalmente assado quando você retirá-lo, para o líquido que dará o tom da pele eles utilizaram:

  • 10 colheres de angoutura biiters (não é uma bebida tão fácil de se achar ou barata, por isso, é possível testar outras soluções para substituí-la).
  • 1 colher de kitchen bouquet
  • 4 gotas de corante de comida amarelo
  • Algumas gostas de detergente neutro, o detergente ajuda a solução a aderir à pele oleosa do peru.

(Os dois primeiros alimentos não são tão comuns no Brasil e a ideia é dar o tom mais escuro do alimento bem assado, por isso é possível testar outras soluções. O importante é ter em mente que estes dois condimentos ajudam no tom e na consistência mais firme da solução para aplicá-la sobre o peru).

O líquido é passado com o peru ainda quente, ele pode acabar não aderindo à superfície da maneira desejada caso seja aplicado na pela já fria. Como em uma pintura, cada camada deixa a ave ainda mais escura e é possível jogar algum tipo de erva ou orégano enquanto pinta para deixar o prato com melhor aspecto.

Vagem

A processo já começa na escolha das vagens que devem ser frescas e apresentarem um bom formato e cor. Vá jogando pequenos grupos aos poucos em água fervente sem sal, cozinhe por um a três minutos e então as coloque imediatamente em água com gelo, depois é só deixá-las sobre uma toalha de papel para secarem.

Outro ponto importante é sua disposição no prato de acordo com o ângulo desejado, uma vez definido o posicionamento, o próximo passo é aplicar spray de cabelo para acentuar a saturação do verde e deixá-lo com brilho, também é possível utilizar o óleo PAM, que é uma espécie de óleo de cozinha em spray muito comum nos EUA e não tão difícil de encontrar no Brasil.

Manteiga

No caso da gravação de vídeos é mais interessante utilizar a margarina para simular manteiga, o motivo é que ela se mantém mais consistente, não fica tão amarela e quando dissolvida gera um líquido com cor mais interessante, utilize um secador de cabelos ou qualquer outra máquina que emita calor para derretê-la um pouco assim que for gravar.

Purê de Batata

Para o purê serão utilizados sal, cebolinha, margarina e absorventes (sim, foi isso que escolheram para gerar fumaça). O primeiro passo é preencher parte do recipiente com gelatina incolor, a ideia é que o purê fique bem acima da tigela e que a gelatina ao fundo não apareça.

Logo depois adicione a cebolinha de maneira que fique bonita esteticamente, acrescente um quadrado de margarina, os absorventes serão utilizados apenas para gerar o vapor no fundo do prato, caso queira seguir a passo-a-passo a risca basta colocar os absorventes em água e esquentá-la no microondas.

Torta de Abóbora

Para a torta de abóbora eles utilizaram chantilly e creme de barbear, e a razão para isso é que o chantilly irá derreter com o tempo, na borda da torta foi utilizado óleo de soja para dar mais cor e brilho e sobre ela um pouco de canela. O creme de barbear apresenta uma consistência mais firme que a do chantilly, o que facilita obter formas com ele, além disso, ele não derrete tão rapidamente, ou seja, no duelo “chantilly x creme de babear” o segundo leva vantagem.

Tentativa e Erro

Profissionais que trabalham no departamento de arte no cinema sabem que muito do seu aprendizado ocorre através da tentativa e erro, então caso você vá fazer a gravação de um vídeo publicitário com alguma comida que não conhece, a preparação será essencial para que possa obter o melhor resultado.

Há sempre duas possibilidades: uma produção com grande orçamento, onde você pode contratar pessoas no departamento de arte e fotografia que já tenham grande experiência na gravação de publicidades para este setor ou (o mais comum) uma pequena produção onde você será o responsável por todo o visual da comida que aparecerá no vídeo.

No segundo caso testes são essenciais para que você possa obter confiança e saber qual resultado obterá em diferentes alimentos. Para os testes é possível utilizar uma porção reduzida da comida ou solução aplicada nela, por exemplo, três vagens e um pouquinho de spray de cabelo são mais que suficientes para que você possa ver na sua câmera e luz se o processo gera um resultado satisfatório.

Lembrando que na “equipe de um homem só” você ainda terá de estudar a linguagem dos comerciais, quais cores mais saturadas são interessantes, tipos de iluminação utilizados, qual lente e compressão geram melhores resultados, entre outros aspectos que seriam feitos por profissionais especializados em uma grande produção.

Vale uma última dica neste tópico: não tente reinventar a roda! Comerciais de comida vêm sendo feitos ao longo das últimas décadas e já há muito conhecimento sobre o que funciona ou não em todas as áreas da gravação, portanto, é sempre importante analisar se vale a pena perder horas ou dias para aprender algo ou pagar por um curso que lhe dê este conhecimento de maneira muito mais rápida, só você sabe o preço da sua hora de trabalho e pode definir o que é melhor no momento.

Desperdício de Comida

O ideal é gastar o mínimo possível de comida “boa” para executar os pratos em cena e, caso possível, até mesmo escolher comidas falsas caso elas estejam na cena fora de foco ou longe da câmera, mas há momentos onde não é possível fazer esta escolha, publicidades de comida geralmente possuem planos muito próximos do alimento e fica inviável escolher qualquer outro elemento que possa parecer falso, ainda mais quando se está tentando gerar o desejo de consumo no público.

A dica é ficar sempre atento para a comida não seja desperdiçada de forma equivocada, mas também não ter medo de “inutilizar” alimentos necessários para a gravação, ao final do dia você desperdiça muito menos se a equipe não fizer “boquinhas” pela metade durante a diária, do que sacrificando seu plano apenas pelo fato de ser um alimento que ficará inutilizado, mantenha-se consciente em todo o processo e não apenas na única coisa que você não tem tanta escolha se pode “desperdiçar” ou não para o plano, que é a comida em frente às câmeras.

E você, já gravou alguma publicidade voltada para este setor? Como foi sua experiência? Conta pra gente nos comentários.

Deixe seu comentário

comentários

Tagged under: , , , , ,

Pin it

Graduado em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos, já passou por diversos ramos da comunicação e atuou no Brasil e Canadá. Atualmente trabalha em São Paulo onde executa as funções de filmmaker e editor.

Back to top
[i]
[i]