Como é Ser Freelancer?

Está pensando em partir para a prestação de serviços como freelancer? Conheça um pouco mais sobre os dois principais modelos envolvendo vídeo e saiba decidir se esta é a melhor escolha para a sua carreira.

O Profissional Freelancer

Freelancer em geral é aquele que presta serviços autônomos, até aí todas em todas as áreas com a presença deste profissional o termo e sua função seguem o mesmo padrão. No entanto, há algumas variações que abrangem principalmente quem escolheu trabalhar com cinema ou vídeo, onde geralmente o trabalho é feito em forma de diárias e saber a diferença entre as duas opções pode ajudar na escolha entre seguir ou não uma delas.

Vários outros nichos de mercado possuem profissionais neste modelo de atuação, tais como: Programadores, Designers, Publicitários, Arquitetos, entre outros. O que todos eles têm em comum é que em geral o profissional é responsável por todas as etapas do processo, desde a prospecção de clientes, primeiro contato e atendimento, desenvolvimento do trabalho, entrega e manutenção do relacionamento no pós-venda. Sem mais delongas, vamos a o que interessa!

Por que Ser Freelancer?

Em geral as pessoas escolhem atuarem como freelancers baseadas, obviamente, nos pontos fortes dessa escolha, entre eles temos:

  • Aumento de network: afinal você sempre irá lidar com os contratantes, bem diferente de uma empresa onde muitas vezes você executa obras inteiras de maneira “invisível” aos clientes, como freelancer você é o rosto da empresa e a máxima “quem não é visto, não é lembrado” é sempre verdadeira.
  • Flexibilidade total de horários: apesar de muitas empresas serem bem flexíveis hoje em dia quanto a isso, atuando como freelancer você define totalmente seus horários (na maior parte dos casos).
  • Remuneração conectada ao trabalho: não existe banco de horas e coisas do tipo, você fecha contratos e quanto mais trabalhar, mais irá ganhar dinheiro (a menos que esteja errando muito ao definir seus valores).
  • Estar no controle de tudo: você decide os rumos e próximos passos do seus negócio, assim como filosofia de trabalho, relacionamento com cliente, posicionamento da sua marca no mercado, etc. Você é o chefe.
  • Local de trabalho: em cidade grandes se deslocar até o trabalho pode ser um exercício de paciência diário, trabalhando como freelancer você pode trabalhar de casa ou então em algum lugar alugado ou compartilhado muito próximo a sua casa.

Estes são alguns dos pontos que incentivam as pessoas a começarem a atuar como freelancers. Em contrapartida, esta experiência também apresenta seus aspectos negativos, que de maneira sucinta podem englobar:

  • Perda de direitos trabalhistas: como freelancer o profissional não possui mais nenhum direito associado à contratação CLT. Férias, 13º salário, FGTS, INSS e benefícios terão de ser inseridos dentro do valor cobrado.
  • Falta de colegas de trabalho: atuando sozinho o profissional perde a chance de trocar experiências diárias com outros membros da mesma área, o que geralmente ajuda no crescimento profissional. Isso também pode afetar pessoas que gostam do convívio diário com outras.
  • Variação na entrada de capital: não existe salário fixo e isso irá variar de acordo com o momento do mercado e número de horas trabalhadas no mês. Finanças pessoais e profissionais estão interligadas, então saber controlá-las é muito importante.

Que tal conhecer um pouco mais sobre os dois tipos mais comuns de freelance?

O Freelancer de Diárias

Luke Seerveld atua como gaffer e gravou um vídeo baseado em sua experiência ao longo dos anos sobre o que é preciso para se tornar um freelancer e seguiremos a linha de raciocínio dele:

Aptidão e Atitude

O mundo como freelancer em cinema ou vídeo é totalmente diferente de um trabalho padrão CLT, por isso a aptidão por este tipo de trabalho é essencial. Uma análise profunda sobre seu jeito de ser pode ajudar e muito na decisão em trabalhar como freelancer em sets e eventos ou procurar um emprego mais padrão. Algumas delas a seguir:

  • Conseguir lidar com variações no orçamento: você não terá um salário fixo, a entrada de receita irá variar entre os meses. Lembre-se que essa talvez seja uma escolha fácil quando se é jovem, mas se você pretende moldar sua carreira como freelancer, é legal pensar em como lidaria com esse cenário caso tivesse filhos ou contas fixas para pagar. Mais que isso, muitas vezes as diárias pagas em publicidade e cinema não são tão baixas, mas você também precisa ter em mente que este valor não irá subir com o tempo, por mais que ocorram pequenos ajustes, você não está em um padrão de pagamento como o de uma empresa onde entra como estagiário, passa para júnior, sênior e assim por diante. Ao decidir, por exemplo, ser gaffer o valor de uma diária será o padrão de um gaffer, que pode ser uma grana bem legal para um jovem de 20 anos, mas pode ser apenas razoável para um pai de três filhos.
  • Gostar de lidar com o inesperado: as chances de não trabalhar no mesmo local por vários meses seguidos são enormes e muitas pessoas não lidam bem com isso, pense sempre que você terá de lidar com o fato de muitas vezes ir a uma nova locação todo dia tendo hora marcada para chegar. Apesar da ordem do dia conter o máximo de informações para a próxima diária (no caso do cinema), muitas vezes você terá de ligar para pessoas da equipe ou perguntar a moradores locais onde é algum lugar em que irá trabalhar. Caso faça parte da equipe de direção ou ocupe um cargo principal as viagens podem ser uma constante, passando parte do ano longe de casa e não necessariamente em locais com ambiente e clima agradáveis. Nenhum dia será igual ao anterior, isso soa como música para algumas pessoas, mas pode ser um pesadelo para outras.
  • Conhecer seu temperamento: se conhecer enquanto pessoa é legal em todas as áreas, mas quando você ganha por diárias isso se torna essencial. Durante muito tempo (meses ou até anos) você não estará trabalhando com pessoas que te conhecem bem, então qualquer perda de controle ou explosão pode fazer com que você elimine contatos. Apesar de todos termos dias em que acordamos com o pé esquerdo, quem trabalha no sistema de diárias precisa saber controlar essas variações de humor, muitas vezes você irá trabalhar um ou dois dias com as pessoas caso seja uma produção curta, neste curto espaço de tempo elas não terão tempo de te conhecer melhor e saber que em algum dia você só estava cansado, em geral a primeira impressão é a que fica. Uma pessoa explosiva ou com temperamento não tão simples de lidar talvez acabe “se queimando” algumas vezes no início de carreira e isso pode ser fatal.
  • Sem horário para acabar: uma vez gravando é difícil prever se tudo será perfeito e a diária irá acabar no horário previsto, muitas vezes durante o processo são necessárias variações de horários e diárias bem longas (com mais de 10h ou 12h). Isso dificulta a definição de uma rotina, há algumas coisas que possuem horários flexíveis, como academias. Mas cursos ou faculdades(que não são EaD) possuem horários fixos, o que pode dificultar a vida de quem está gravando enquanto estuda algo. Tenha em mente que você sempre pode ficar a mais, mesmo em eventos e com tempo limite previsto em contrato. Neste ponto o freelancer de diárias diverge do ponto positivo de “fazer o próprio horário”, no máximo ele possui alguns dias livres na semana, mas em dias de trabalho a jornada geralmente é estabelecida anteriormente.

Como você lida com o trabalho? Geralmente você fará muitas coisas pequenas ou mesmo que não estão no seu escopo de trabalho no começo. A atitude que você tem com relação a isso é algo que as pessoas notam e que pode ajudar e muito na obtenção de novos freelas. Se você conseguiu uma diária como assistente de produção não fique encostado em um canto quando achar que está tudo feito, pessoas que sempre procuram pelo trabalho são muito bem vistas, perguntar ao seu superior imediato se há algo para fazer ou ajudar nunca irá soar de maneira negativa.

Antecipação

Sempre pensar no que irá ocorrer em sequência e também nas outras pessoas presentes no set é algo importante. A antecipação está ligada em manter a mente ativa durante o trabalho, principalmente em início de carreira, se desligar dos protocolos e processos sendo executados é bastante perigoso para quem ainda não os assimilou de maneira profunda.

Assertividade

Ser freelancer exige mais assertividade na execução das tarefas do que em geral de um funcionário contratado. Como freelancer todas as etapas são sua responsabilidade e isso requer trabalho extra. Não haverá chefe para cobrar resultados, o chefe será o cliente e entregar tudo da maneira mais profissional possível é sua total responsabilidade.

Freelance Fora do Set

Existe também o modelo mais difundido e comum para se tornar um freelancer, nele você oferece um ou um grupo de serviços e desenvolve seu trabalho em sua casa ou empresa. Dentro do cinema e vídeo muitas pessoas se enquadram neste tipo de abordagem e algo muito comum, principalmente para quem está começando, é o famoso pedido para que você trabalhe de graça em algum projeto. Cada profissional tem um abordagem sobre isso, para muitos é inaceitável qualquer tipo de trabalho gratuito, já outros são um pouco mais flexíveis. Tomando por base as três contrapartidas mais comuns exibidas no vídeo acima, algumas podem mostrar se esta é uma boa ideia ou uma furada.

Exposição

Quem é a pessoa que te oferece a exposição? O público dela é o que você quer atingir? É a mesma idade, público e classe social que você trabalha? Calcule quanto seria o orçamento para a peça dessa pessoa e depois veja quanta publicidade você conseguiria pagar no Facebook e mídias sociais voltadas especificamente para o seu público, se a publicidade da peça gerada não for bem superior ao anúncio que você escolher, talvez não seja uma  boa ideia.

Parceria

Parceria é outra palavra muito utilizada, mas em uma parceria as duas partes possuem voz ativa no processo. Parcerias ocorrem entre pessoas no mesmo nível hierárquico, não entre patrão e funcionário que trabalha de graça, logo, uma análise criteriosa sobre a outra empresa, se o envolvimento com ela seria benéfico para sua marca, se realmente ela possuí contatos importantes, tudo isso conta para a tomada de decisão.

Se realmente a parceria for interessante entre como sócio no projeto e em eventuais ganhos, insira em contrato que a parceria prevê a alocação de “n” contas de clientes do parceiro para você, enfim, o que for acordado de igual para igual, empresa para empresa. Tudo devidamente documentado. Uma “parceria” muito presente no mercado é aquela onde você produz o que a pessoa precisa e ela não te paga com nada palpável. Lembre-se que em geral é você quem sabe executar o que a pessoa precisa, logo, você está no comando para negociar a parceria buscando um bom acordo para ambas as partes.

Experiência

Qualquer trabalho irá gerar experiência, seja ele um trabalho gratuito onde você não possui liberdade criativa e muitas vezes nem irá usá-lo como portfólio ou um trabalho também gratuito desenvolvido para uma ONG ou projeto em que você acredita e onde você é o chefe criativo e toma as rédeas da construção. Mais uma vez analisar o caso é essencial e o ganho de experiência só vale se realmente isso gerar um bônus ao currículo, como um trabalho com uma grande empresa ou em parceria com um profissional consagrado.

Seu Nome é Sua Marca

Quando escolhe tornar-se freelancer o profissional passa a ter um marca associada ao seu nome, na verdade há duas opções: manter seu nome pois já é um profissional consolidado no mercado ou criar uma marca nova. De qualquer forma em ambos os casos ele passa de funcionário de uma marca para construtor da sua própria, o que irá gerar trabalho extra que antes ele não possuía.

  • Relacionamento com o cliente: você passa a ser o relações públicas da empresa, pelo lado bom você não terá nenhuma ou poucas falhas de comunicação, pois você é o atendimento e executor da obra, muitas vezes isso irá exigir bastante flexibilidade, diplomacia e jogo de cintura. Existem ótimos editores, diretores de arte, animadores, que são péssimos no relacionamento com o cliente. É importante se conhecer e saber se é interessante pensar em contratar uma pessoa dedicada a isso.
  • Postura profissional: ter um cartão de visitas, um e-mail com seu domínio, um site bem construído, orçamento com marca d’água da empresa, telefone comercial, tudo isso passa muito mais confiança ao cliente. Você, como cliente, compraria uma produto de mais de R$ 1000 de uma loja estruturada ou do “fulano” que te passa os contatos pessoais e trabalha com isso para ganhar um “extra”? Qual te passa mais segurança ao investir seu dinheiro? Qual empresa tem raízes mais sólidas? A postura continua no atendimento, ter uma ficha padrão de briefing, uma estrutura com fases de aprovação, prazos de entrega e cobrança e, claro, um contrato que deixa claro todos seus deveres, mas também enumera seus direitos são formas de mostrar que você não está para brincadeira no mercado. Por fim, também é importante o trabalho pós-venda, tanto de feedback quanto de manutenção do contato.

Saiba seu Valor

Saber o valor do seu trabalho é essencial para:

  1. Não trabalhar muito e ganhar pouco.
  2. Não ir à falência.
  3. Não cobrar um valor muito acima do que seu trabalho vale.

Trabalhando apenas como freelancer você provavelmente terá uma taxa intermediária entre uma produtora e um outro profissional com trabalho fixo e que presta serviços nas horas vagas. De modo geral seus custos serão menores que os de uma produtora, pois você não terá uma grande estrutura física para manter, muitos funcionários, custos operacionais mais altos, etc.  Já o profissional que atua nas horas vagas pode tirar alguns custos do seu orçamento como os de benefícios que já recebe da empresa que o contrata.

Sabendo lidar com isso é possível oferecer diferenciais para os dois concorrentes diretos: contra a produtora seu maior diferencial é o preço e sistema de produção enxuto, no seu caso os clientes falam com o chefe e funcionário ao mesmo tempo, assim a mensagem é mais rápida e direta. Já contra o freelancer que também é CLT você tem a favor a exclusividade de foco no trabalho, ao contrário de alguém que tem um jornada extra para cumprir, você pode se comprometer bem mais com prazos e metas.

As Lista de Despesas

Quando começamos a listar todas as despesas fixas e variáveis vemos que toda hora de trabalho possui um custo fixo, por exemplo, entre os custos estão a conta de eletricidade, internet, softwares, equipamentos e atualização ou reparos, etc. Além deles você deve inserir custos como INSS ou previdência privada, convênio médico, odontológico, contador ou tarifas mensais e quaisquer outros benefícios que você queira ou tenha em algum trabalho CLT.

Você pode ter algum tipo de subsídio inicial, como não pagar aluguel ou internet, mas utilize esta vantagem competitiva exatamente como o nome que lhe é dado, uma vantagem. Uma opção é não baixar muito o preço por causa dela e sim aumentar sua margem, pois o preço do seu produto é composto por vários componentes e ele inclusive ajuda a definir sua marca. Aumentando a margem é possível capitalizar a empresa de maneira mais rápida e obter uma estrutura mais sólida para momentos de baixa no mercado.

Por fim, não se esqueça que enquanto freelancer você é o único responsável pela sua renda, ou seja, um dia sem trabalho é um dia sem rendimento algum, assim como férias devem estar previstas nos seus custos, caso contrário você ficará mais refém do trabalho do que era em sua época como CLT. Férias remuneradas e cursos de capacitação só ocorrerão se você sempre pensar nisso ao definir seus valores.

Planejamento é Essencial

Caso exista esta possibilidade, sempre planeje muito bem sua entrada no mundo freelancer. Tenha em mente que a construção de uma base de clientes leva tempo e isso pode gerar vários meses fechando no vermelho. Ter um bom capital de giro inicial é importante, ele será essencial na manutenção operacional enquanto trabalhos grandes ou clientes constantes não começam a aparecer.

Entenda seu cliente e nicho de mercado e invista em publicidade, hoje em dias as redes sociais facilitaram e muito a forma de chegarmos aos nosso público. Enquanto antigamente você faria alguns cartões e sairia por aí distribuindo, hoje você pode trabalhar online e definir exatamente o público, idade, sexo e localização que gostaria que fosse atingida, é um dinheiro muito melhor empregado.

Tenha um portfólio consistente que possa ser apresentado ao seu possível cliente, caso seja novo no mercado produza peças para ONG’s ou algo do tipo, mas entre “em campo” com pelo menos alguns trabalhos com o nível que você oferecerá. Isso mostra solidez e consistência, lembre-se que muitas pessoas não sabem nada da sua trajetória e trabalhos bem realizados são um ótimo cartão de visitas.

Voltando ao capital de giro, pense em possibilidades de atrair seu cliente. O parcelamento de vendas é uma delas, quase ninguém tem alguns milhares de reais para dar a vista em uma peça, por isso o parcelamento pode soar muito atrativo a clientes e empresas. Lembre-se que mesmo empresas multinacionais costumam ter um delay entre a entrega do produto e o pagamento.

Cada empresa tem seu próprio controle financeiro e formas de contrato, você pode receber por um trabalho já entregue em 30, 60, 90 dias ou mesmo semestralmente. Saber dosar e calcular trabalhos que pagam a vista de trabalhos parcelados ou com pagamentos muito a frente no tempo também é importante até obter solidez financeira.

Peça Ajuda

Apesar do esquema de organização para se tornar freelancer prever um profissional multi-tarefas, não é legal sucumbir ao sistema e sim abordar todas as escolhas de forma inteligente, é muito importante saber conciliar trabalho e vida particular, fazer o que gosta não pode ser subterfúgio para uma fuga da vida privada, lembre-se que você ama fazer vídeos ou trabalhar com cinema, mas sua esposa, namorada, marido, filhos e filhas podem não gostar tanto assim e querem/merecem sua atenção.

Todo trabalho a partir de algum grau de complexidade precisa de mais do que apenas alguns tutoriais no Youtube para ser feito e quando muitas tarefas precisam ser executadas por apenas uma pessoa é importante manter o foco para que sua essência não seja perdida. Se você é um editor saiba que este é seu diferencial e seu ganha pão, saiba calcular seu valor enquanto profissional e, caso necessário, contrate profissionais ou serviços para outros setores.

Você dificilmente será tão bom ou confiável quanto um contador para tomar conta da sua empresa ou tão eficiente quanto um vendedor com experiência que prospecta clientes oito horas por dia e cuida das suas relações públicas, a partir do momento que o trabalho freelance começa a dar certo e você a crescer é o momento de abrir mão do controle total do processo e começar a passá-lo para pessoas mais capacitadas em suas áreas específicas.

Foco é Essencial

A promessa de trabalhar em casa, quando e como quiser é muito tentadora. Mas ela esconde armadilhas que poderão te derrubar profissionalmente, há várias outras dicas e detalhes que somente a experiência irá mostrar. Conhecer a si mesmo e saber se possui o perfil para freelancer (seja de diárias ou não) é o primeiro passo, depois disso é saber gerenciar trabalho e vida pessoal. Caso contrário você estará eternamente preso em um limite físico e de horas para aumentar suas receitas e se tornará refém do modelo que adotou exatamente para lhe dar mais liberdade de atuação.

Deixe seu comentário

comentários

Tagged under: , , , , ,

Pin it

Graduado em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos, já passou por diversos ramos da comunicação e atuou no Brasil e Canadá. Atualmente trabalha em São Paulo onde executa as funções de filmmaker e editor.

Back to top
[i]
[i]