Atomos Shogun Flame e Ninja Flame – O que está por vir

Os monitores da série Flame da Atomos estão chegando com grandes inovações!

Serão lançados dois modelos, o Atomos Shogun Flame (SDI/HDMI)  e o Ninja Flame (HDMI), os monitores de 7″ chegam ao mercado com a tecnologia proprietária AtomHDR que, de certa forma, resolve o brilho em detalhes HDR (dynamic range), com 10-bit para cores, entregando 64 vezes mais informação que o tradicional 8-bit presente nos painéis atuais, lembrando que 10-bit consegue exibir 1,07 bilhão de cores, já 8-bit consegue exibir 16,7 milhões de cores.

Rec709 ou AtomHDR

O que ocorre é que geralmente os monitores reproduzem suas imagens em Rec709, que é um padrão que garante cerca de 6-7 stops de dynamic range, já a tecnologia AtomHDR entrega 10 stops de detalhe na luminância e claro que muito mais detalhes de cores (1,07 bilhão).

Os dois monitores tem corpos resistentes com bordas de plástico de alta qualidade, realmente pensados para ambientes hostis como a maioria dos monitores da Atomos, possuem também um sistema de alimentação contínua com duas baterias, onde a passagem de uma para a outra é automática em caso de carga baixa, fora o novo sistema de alimentação que carrega as baterias três vezes mais rápido que o padrão.

produto

fonte: https://www.atomos.com/flame/shogun/

Daylight Viewable

Até agora, os monitores têm suporte para câmeras Sony, ARRI, Canon, RED, Panasonic e JVC. Em cenas sem tanta necessidade de variação da luminância você pode selecionar o modo tradicional de vídeo (Rec709) e ativar o controle de brilho no painel do monitor, nele você pode ativar o modo chamado “Daylight Viewable” e obter 1500nits de brilho no monitor, o que faz com que você consiga gravar (e ver o que está gravando) sem a necessidade de acoplar um hood ao monitor.

Monitores e Gravadores

Como já vem ocorrendo em versões anteriores, os produtos da Atomos não são apenas monitores, mas também gravadores e, no caso da linha Flame, as duas unidades são capazes de gravar 4K/HD direto do sensor para 10-bit 4:2:2 em Apple ProRes ou AVID DNxHR/DNxHD em SSD’s.

Eles também possibilitam pulldown 3:2 e 2:2 no chamado “On the fly” que é a realização através do próprio aparelho, além de outras características avançadas de gravação como timelapse e Pre-Roll.

Entre as várias ferramentas do painel touch há também as relacionadas a foco e exposição, o monitor possui waveforms (LUMA e RGB) e VectorScopes para garantir que você consiga a melhor exposição.

tools

fonte: https://www.atomos.com/flame/shogun/

Os preços variam entre US$1,700 para o Shogun Flame e US$1,300 para o Ninja Flame, lembrando que pelo site oficial da Atomos o monitor Ninja chegará ao mercado em 28 de Março e o Shogun no dia 11 de abril.

Stefan Czech gravou um review bem interessante sobre o produto, onde é possível ver os paíneis e controles em ação, vale a pena conferir.

Guia Técnico HDR

Desde o invento de monitores CRT (os famosos monitores de “tubo”), até o progresso para novas gerações com os LCD’s, nós acabamos confinando nossas cores e brilho em um espaço chamado Rec.709.

O máximo da capacidade de um CRT foi definido como 100% de entrada e representa 6-7 Stops de Dynamic Range. Sendo cada stop significa o dobro de luminância do anterior, nós então teríamos uma entrada de 64 (usando 2 como base), já os 11 stops vão gerar 2048 de entrada.

As câmeras já passaram deste nível há bastante tempo, e atualmente você acha fácil algumas com capacidade para 14 stops ou mais, portanto ao mostrar Rec.709 você precisa escolher onde perder informação (afinal, são 6 Stops), assim como imagens entrelaçadas e compressão de cor em 4:2:0, o Rec.709 é um padrão ultrapassado, embora ainda utilizado.

Curvas LOG

A solução para os operadores de câmera tem sido usar curvas LOG para mesclar e fazer os detalhes em 10-bit ou curvas Log com 10 stops. O desafio é que ao redistribuir os níveis de gravação dentro de Rec.709, que é o padrão, muito do brilho da imagem acaba sendo comprimida e a cena acaba com um visual “lavado” e não natural.

Deixando a cargo do operador “julgar” a exposição usando uma combinação de LUT’s, cartões cinza 18% e branco 90% que podem não só consumir muito tempo, mas também são uma técnica onde muitos se embaralham.

É aí que entra a mágica dos novos monitores da Atomos, se ficou interessado é só baixar o arquivo disponível no site clicando aqui, onde eles explicam um pouco mais sobre o que vem com o HDR dos seus monitores.

As especificações dos modelos (Shogun e Ninja, respectivamente) você pode checar logo abaixo:

features

fonte: https://www.atomos.com/flame/

Deixe seu comentário

comentários

Tagged under: , , , , ,

Pin it

Graduado em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos, já passou por diversos ramos da comunicação e atuou no Brasil e Canadá. Atualmente trabalha em São Paulo onde executa as funções de filmmaker e editor.

Back to top
[i]
[i]