Toda cena é igual em House of Cards

O canal Slate Magazine criou um vídeo bem interessante ajudando a guiar o olhar do espectador menos treinado ou amador para a paleta de cores presente na série House of Cards. Veja o vídeo:

A tríade da imagem

Indo um pouco mais a fundo no assunto temos como base o que podemos chamar de “tríade da imagem”, ou seja, três áreas dentro da produção cinematográfico que são as responsáveis diretas pelo que você verá na tela, sendo elas: direção, direção de fotografia e direção de arte. Desde o início do processo de pré-produção os diretores de cada uma das áreas se reúnem e tomam decisões conjuntas sobre a estética narrativa do filme ou série. O tamanho das equipes em cada uma das áreas acaba dependendo diretamente do orçamento do filme, geralmente quanto mais complexa e rica a produção, mais segmentadas serão as áreas.

Direção

diretor

Temos a direção pois cabe ao diretor exatamente dar corpo e unidade ao roteiro, se você está pouco acostumado a ver roteiros de cinema perceberá quando ver um que eles geralmente carregam pouca ou nenhuma informação narrativa visual, o padrão de escrita de roteiros para cinema busca em geral uma história bem estruturada, mas sem diretrizes criativas sobre como ela será contada, pois o diretor é contratado exatamete para isso. E não entenda errado, um bom roteiro é essencial para um bom filme. Já a abordagem de cada diretor quanto à imagem varia muito, temos diretores focados em dar diretrizes sobre o sentimento que querem para as cenas e o filme como um todo, deixando a cargo do diretor de fotografia decidir tecnicamente como alcançará o que ele pensou. Mas também temos diretores que conhecem muito sobre fotografia e participam ou direcionam diretamente a execução de uma cena, um dos exemplos mais clássicos deste tipo de diretor foi Stanley Kubrick que participava de todas as questões técnicas das cenas, como posicionamento da câmera, lente que seria usada e movimentações durante a execução.

Direção de Fotografia

Junto ao diretor temos o diretor de fotografia, cabe a ele através de seus conhecimentos fazer a escolha correta entre câmeras, lentes, equipamentos, temperatura de cor, tipos de iluminação, entre outros, para todas as cenas e o filme como um todo, além de se preocupar com outros aspectos técnicos durante a gravação, como a continuidade da luz. Desde os primeiros estágios da pré-produção ele e o diretor discutem aspectos das imagens de cada cena e trabalham em conjunto para que a luz ajude e fortaleça a narrativa.

Direção de Arte

Por último temos a menos comentada, mas não menos importante Direção de Arte. A equipe sob a gestão do diretor de arte também pode variar bastante de acordo com o orçamento da produção, assim como suas sub-áreas. Entre suas decisões entram escolhas importantíssimas para o filme, como sua paleta de cores, figurino, detalhes em locações, ambientes, etc. Em filmes de época, por exemplo, acrescente aí um trabalho meticuloso de pesquisa sobre como era o mundo naquele momento, vestuário, móveis, carros, cabelos, maquiagem, tudo!

Estas três áreas em conjunto que irão fortalecer e criar a narrativa imagética do filme, quanto mais discutida e trabalhada cada área, melhores serão os resultados narrativos. Diretores de arte e fotografia costumam trabalhar complementando e fortalecendo o trabalho de cada um, não adiantaria nada a equipe de direção de arte de House of Cards ter definido que o primeiro plano da série traria tons de azul e o plano de fundo tons de amarelo, se o diretor de fotografia não reforçasse isso nas suas escolhas de temperaturas de cor e se o diretor não quisesse essa dicotomia entre as cores. Isso não quer dizer que a palavra do diretor é a que encerra o assunto, na grande maioria dos casos durante a pré-produção e mesmo durante as gravações as equipes de arte e fotografia são essenciais para trazer ao filme mais nuances e acrescentar ideias e formas sobre como construir a história.

A luz conta histórias

Se você escolheu participar como diretor de fotografia de um filme saiba que toda e qualquer escolha sua influencia na “potência” narrativa da obra, saber o que o diretor quer para o filme é essencial para os primeiros passos, através disso você consegue definir qual câmera irá usar, pois mesmo em altíssimo nível cada câmera apresenta especificidades e nuances nos seus sensores e sistemas que podem ajudar ou atrapalhar muito na narrativa do seu filme, assim como lentes e seus fabricantes. Cada lente apresenta uma textura de imagem diferente e diferenças tênues que, acredite, podem fazer toda a diferença entre “amarrar” a história do seu filme ou perder o espectador com uma imagem sem propósito.

film-director-1541094-1278x708

Estudar seu roteiro e definir todos os aspectos da fotografia buscando acrescentar ainda mais poder a narrativa não é um trabalho extra ou desnecessário, muito pelo contrário, é um trabalho essencial para ter uma obra executada em alto nível. Definir a temperatura de cor das suas cenas, se sua iluminação será dura, se será mais macia, quantas gradações você vai querer nas sombras no rosto do ator, se haverá um espaço negativo no fundo da cena ou se o quadro todo estará iluminado, se sua luz virá de cima, lado, baixo, perto, longe, se você quer um pouco de fumava para dar forma à luz, enfim, são dezenas de pequenas escolhas que influenciam no resultado final da cena e do filme.

Resumindo, fazer jus ao posto de dirigir a fotografia de algo quer dizer que você saberá responder com detalhes os motivos de todas suas escolhas técnicas, seja ela o número de quadros por segundo, velocidade de obturador, tipo de iluminação escolhida, posição da câmera e fontes de luz, compressão e abertura da lente, movimentação em cena, escolha de estabilizadores, de câmera, de lente. A luz literalmente conta histórias e começar a gravar sem saber exatamente o que você quer ou só porque a imagem está bonita pode ser fatal para a unidade da história como um todo, ter o conhecimento técnico e aplicá-lo na narrativa é o que pode separar os homens dos meninos durante a execução de um filme.

Controlando a arte de um filme

Assim como as luzes, as cores também passam informações e sentimentos subjetivos importantes, em um filme menor o trabalho do diretor de arte está longe de ficar apenas na decisão da paleta de cores da história, provavelmente tudo que você vê na cena, desde figurinos, maquiagem do atores, objetos de cena e texturas são definidas pela equipe de arte, por isso geralmente os diretores dessa área precisam conhecer muito sobre história da arte e teoria das cores.

Não só a cor ajuda a contar uma história, o quarto de um personagem um pouco mais desarrumado ou não, os tipos de roupa que ele veste, acessórios. A direção de arte é essencial na ambientação e pode inserir pistas narrativas incríveis à história de maneira sutil que só o mais atento espectador poderá captar, por exemplo, um quadro no canto da parede que dá dicas sobre a personalidade do personagem, um objeto de cena em um canto que será importante mais a frente no filme, as possibilidade são inúmeras e acrescentam ainda mais qualidade à narrativa.

Aprendendo com a série

Depois da dica do Slate Magazine você pode passar a prestar mais atenção na escolha das cores, figurinos e ambientes em House of Cards ou em qualquer série ou filme que você goste, com certeza você irá perceber algo que passou batido pelos seus olhos: em todos os casos há uma consistência de cores relacionadas a personagens, momentos ou locais, ao analisar ativamente você perceberá como isso ajuda a criar dicas narrativas e a contar a história. Vale a pena fazer este exercício!

Deixe seu comentário

comentários

Tagged under: , , , ,

Pin it

Graduado em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos, já passou por diversos ramos da comunicação e atuou no Brasil e Canadá. Atualmente trabalha em São Paulo onde executa as funções de filmmaker e editor.

Back to top
[i]
[i]