O poder da Pré-Produção

Seja fazendo cinema ou em produções teoricamente menos complexas (como eventos e curtas) a pré-produção é uma etapa essencial para que surpresas que possam acabar prejudicando o produto final não ocorram durante o restante do processo, não é a toa que o processo de produção audiovisual acaba sendo dividido em três grandes blocos compreendidos por: pré-produção, produção e pós-produção.

Todo filme precisa de pré-produção

Todo filme passa por esses três estágios e decisões importantes das etapas seguintes (produção e pós-produção) são decididas durante a pré-produção, um dos maiores erros, por exemplo, é começar uma produção ser saber exatamente como será a finalização e distribuição do seu produto final. Imagine gastar rios de dinheiro com a locação de equipamentos para produção pensando na distribuição em cinemas e depois descobrir que o filme será distribuído de outra forma? O contrário também é valido e começar a produção com equipamentos que entregam um produto inferior a o que será distribuído pode acabar fazendo com que você tenha de regravar inúmeras diárias, levando sua produção toda ao caos financeiro.

Nunca é demais lembrar que a produção e pós-produção são de longe as etapas mais caras durante a realização de um filme, portanto, quanto mais apertado seu orçamento, mais uma pré-produção bem executada poderá fazer com que você entregue um produto com qualidade muito maior. Sem dúvida alguma essa é uma das etapas mais analíticas e burocráticas da produção, mas pense que ela é quase toda executada sentado em frente a planilhas e ao telefone e que é muito melhor perceber equívocos enquanto você está sentado no conforto do seu escritório, do que durante uma diária de alguns milhares de reais onde o dinheiro será gasto de qualquer forma.

O perigo de uma pré-produção mal executada

Imagine que você é um grande engenheiro e recebe o projeto de um prédio, como você é bom e confia no seu taco resolve então que executará tudo no “feeling” e já botará a mão na massa. Adivinha o que pode acontecer? Pois é, seu prédio provavelmente sairá muito mais caro que o previsto e poderá desmoronar a qualquer momento. Para nossa sorte filmes não caem na cabeça das pessoas, mas são obras caras e que podem destruir uma marca num piscar de olhos. A execução de um filme conta com um fluxo de trabalho extremamente complexo, há literalmente uma pequena indústria montada para a execução de uma única peça de entretenimento e arte e é por este motivo que mesmo profissionais premiados nunca pulam esta etapa, mesmo com uma ótima pré-produção há inúmeros imprevistos no set, seja a chuva no dia das externas, a atriz passando mal, atrasos na execução da ordem do dia, uma lista sem fim. Não executar esta etapa provavelmente fará seu cliente ou estúdio perder dinheiro (e quando o assunto é dinheiro, amigo, você está encrencado), além de enfraquecer sua história e gerar aquele sentimento de “não era isso que eu tinha visualizado para o meu filme”.

A pré-produção é mágica não apenas para o cinema

Que a pré-produção é uma etapa essencial do cinema todos nós já sabemos, mas pense na seguinte cena: inauguração de uma arena gigantesca para as Olimpíadas e sua empresa foi contratada para cobrir o evento que contará com autoridades do Brasil e do mundo. Imagine sua equipe chegando ao local no dia sem saber direito qual será o produto final destas imagens ou muito menos o caminho das autoridades durante sua chegada, profissionais que não sabem detalhadamente o que buscam no evento são o pior mal que uma produtora poderia ter. Aqui entra a pré-produção, uma conversa detalhada com a equipe de marketing, recebimento da agenda do dia detalhadamente, visita técnica ao local com pelo menos alguns dos profissionais que estarão presentes, a lista de coisas a fazer é enorme, tudo isso para garantir que sua empresa saiba o que vai fazer naquele dia e o que busca, os melhores profissionais podem muitas vezes não conseguir produzir as melhores imagens ou histórias pois simplesmente ainda não sabem o que tem de contar para um cliente.

Quais as etapas do processo?

A pré-produção é o momento onde o elenco e equipe são contratados, locações são visitadas e equipamento alugado. Mas esta é apenas a ponta do iceberg, esta lista parece não ter fim. No vídeo a seguir o produtor Devin Reeve nesta entrevista para o Film Courage compartilha uma lista com as principais etapas do processo de pré-produção. Aqui estão as tarefas que o Reeve menciona no vídeo:

Lista de tarefas de pré-produção

  • Selecionar o elenco
  • Fechar o roteiro
  • Visitar locações
  • Finalizar o orçamento
  • Contratar a equipe
  • Definir fornecedores de equipamentos
  • Alugar equipamentos
  • Fazer uma revisão técnica
  • Fazer uma leitura do roteiro

Lembre-se que essas são tarefas macro e que completá-las significa finalizar uma série de outras pequenas tarefas. Por exemplo, selecionar o elenco já é um grande empreendimento, é necessário muito tempo e preparação para realizar uma audição bem-sucedida. Como Devin cita no vídeo, a pré-produção é uma fase com muitos e-mails e ligações. O seu dia será basicamente no telefone e computador quebrando toda sua produção em pequenas tarefas que precisam ser realizadas.

Ainda utilizando a seleção de elenco temos, por exemplo, a escolha do elenco principal, para isso devem ser marcadas audições com os atores, você precisa ter um local para isso, definir as páginas do roteiro original que serão utilizadas, definir o feedback que dará aos atores para sua interpretação, datas das audições, gravação em uma câmera simples, armazenamento deste material, após as escolha você terá de entrar em contato com os selecionados, talvez tenha de negociar cachês, definir agendas no caso de atores concorridos, fechar contratos e vários outros detalhes menores. Isso tudo apenas para o elenco principal, filme que contarão com muita figuração ainda contam com todo um fluxo extra de pessoas que precisam ser contratadas e aí vai.

Quer aprender um pouco mais sobre as etapas da pré-produção?

A galera do canal Film Riot também já dedicou vários vídeos ao tema e na sequência compartilhamos essa playlist com alguns dos tópicos de pré-produção abordados em mais detalhes:

O conteúdo é todo em inglês e para ajudar o apresentador Ryan Connolly acaba engatando a quinta na hora de falar e joga muita informação em poucos segundos, então a dica é assistir com bastante atenção. Caso a repercussão e interesse sejam muito grandes podemos até tentar em traduzir essa série de vídeos especialmente para vocês que seguem o Cinematográfico.

Seguindo a abordagem deles teríamos uma sequência de etapas que contaria com a definição do roteiro, neste caso o roteiro pode ou não já está inserido no processo de pré-produção, por exemplo, caso o estúdio contrate um roteirista para desenvolver um filme baseado em um tema, o roteiro já acaba entrando como parte do processo. Mas em alguns casos o roteiro acaba sendo escolhido e comprado depois de pronto, o que faz com que ele seja uma variável que pode ou não estar inserida na pré-produção. Depois disso temos uma quebra desse roteiro de acordo com as necessidades de cada cena, orçamento, calendário, locações, etc.

Prefira dores de cabeça na pré-produção

Para encerrar o assunto, prefira sempre ter as dores de cabeça do processo durante a etapa de pré-produção, é nela que geralmente temos mais tempo e até mesmo flexibilidade para mudarmos detalhes ou mesmo cenas inteiras. Quanto melhor for seu trabalho nesta etapa, mais tranquilo (provavelmente) será seu trabalho durante o resto do processo todo até a exibição e distribuição do seu filme. Nunca deixe assuntos para serem resolvidos durante a produção ou pós-produção, o que puder ser resolvido no conforto do seu escritório,

E você? Dedica tempo suficiente para a pré-produção dos seus projetos? Já teve experiências onde uma boa pré te salvou de um problema ou então onde a falta dela acabou dificultando sua vida? Conta pra gente nos comentários!

Deixe seu comentário

comentários

Tagged under: , , , ,

Pin it

Graduado em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos, já passou por diversos ramos da comunicação e atuou no Brasil e Canadá. Atualmente trabalha em São Paulo onde executa as funções de filmmaker e editor.

Back to top
[i]
[i]