Nunca trabalhe de graça!

Neste artigo eu quero mostrar para você como trabalhar de graça é prejudicial a você e também à indústria do áudio-visual em geral (ou na verdade qualquer outra indústria).

Isaac NewtonSe tomarmos a primeira lei da física de Isaac Newton como exemplo, ela diz basicamente que para mover (ou mudar a trajetória) de um objeto, é necessário aplicar uma força sobre ele. Não só isso, mas por quanto mais tempo você aplica esta força, maior a mudança no estado do objeto.

Por que este momento nerd bem no começo do artigo?

Por que antes de continuar com o texto, eu quero que você concorde que esta lei fundamental da física que rege tudo no nosso universo pode ser aplicada também para nossas produções em vídeo.

Para se produzir um vídeo (assim como para se colocar um corpo em movimento) você precisa gastar energia e quanto mais tempo você demora gastando esta energia, melhor o resultado do seu vídeo (ou mais rápido o corpo estará em movimento).

O que estou tentando dizer é que nada no mundo é de graça, tudo tem algum custo e só chamamos algo de “grátis” quando este custo está nas costas dos outros.

Nem amor de mãe é de graça?

Nem amor de mãe! Antes de você ter tamanho suficiente para entender o que sua mãe queria dizer quando dizia “eu te amo” antes de você dormir, ela já tinha passado 9 meses grávida, passado por várias horas de parto, noites em claro, trabalhado muito para comprar leite, fraldas, móveis, brinquedos, livros… Então por mais que pareça que não custa nada para você que está ouvindo da boca dela estas palavras tão doces, existiu um custo enorme para vocês dois chegarem até aqui!

Say noE por que não trabalhar “de graça”

– Trabalhar de graça diminui o valor do seu trabalho
Alguém que trabalhou de graça uma vez é alguém que pode trabalhar por menos das próximas vezes ou que pode até trabalhar de graça de novo. Alguém que sempre cobra pelos seus serviços se posiciona como profissional sério no mercado.
– Você é quem está pagando
Fazer um vídeo tem vários custos envolvidos como combustível, cachês, seguros, riscos de quebra de equipamentos… Quando você cobra um cliente o custo de todas estas coisas e principalmente pelo seu tempo saem do bolso dele. Se não cobra, saem do seu bolso.
-Tirando a oportunidade de outros profissionais
Sempre que você diz sim a um trabalho de graça pode estar tirando a oportunidade de outro colega menos capacitado ou iniciante de fazer o trabalho cobrando pouco.
– Bagunçando o mercado
Quem não cobra pelos seus serviços está baixando o preço médio dos serviços em seu mercado, acostumando clientes a pagarem pouco ou não pagarem.
– Todo trabalho tem um objetivo
Normalmente este objetivo (mesmo quando não é direto) é ganhar dinheiro então não faz sentido seu cliente ganhar e você não.
– Num trabalho de graça, tudo é de graça
Hora extra é de graça, refação é de graça, reclamação é de graça…
– Gostar do que faz não significa que você pode trabalhar só por prazer
Vídeo makers e artistas em geral entraram neste mercado por que se divertem com o que fazem. Não se esqueça que este trabalho que te diverte e te satisfaz profissionalmente também tem que pagar aluguel, comida, combustível…
– Você resolve em 2 horinhas
O fato de um trabalho poder ser completado em 2 horas não quer dizer que você demorou só 2 horinhas para estudar, praticar, errar, acertar, ganhar experiência etc. Fazer um trabalho em 2 horinhas é possível por que você passou anos (ou quem sabe décadas) acumulando técnica e conhecimento e quando você cobra por um trabalho está cobrando por estas coisas mais do que pelo seu tempo.

Pessoas que pedem por trabalho de graça

Needy man begging or pleading his cause

Empresas ou Negócios
Uma empresa (agência de publicidade é craque nisto) normalmente te pede trabalho de graça prometendo uma das quatro coisa:

1. Exposição: Raramente é o caso, pois se uma peça em vídeo vai ter uma grande exposição, alguém irá pagar por esta exposição em emissoras ou outros canais de veiculação. Se eles têm dinheiro para pagar a veiculação, não faz sentido não te pagarem pela sua produção.
2. Portfolio: Se você precisa de um certo tipo de trabalho em seu portfolio e está disposto a trabalhar de graça por isso, grave um curta metragem ou faça um trabalho bacana (diretamente – leia mais abaixo) para uma entidade ou cause que acredita. Você vai ter uma peça no portfólio que não só mostra suas qualidades, mas mostra que é uma pessoa de bem.
3. Experiência: É difícil medir quanto um trabalho pode trazer de experiência para um profissional, mas seu trabalho tem um custo em tempo e um custo financeiro de operação (combustível, desgaste de equipamento, empregados, risco de quebra de equipamento, etc). Coloque na balança se você não ganhará mais experiência investindo este dinheiro em um curso e usando o seu tempo para estudar.
4. Trabalhos futuros ou indicações: Na prática, raramente funciona. Além disso, uma vez que você trabalhou de graça, é difícil negociar bons valores nos trabalhos seguintes. Caso realmente ache que as indicações irão valer trabalhar de graça, cobre um valor mínimo, mas envie um contrato mostrando o valor real, e o desconto dado. Assim você deixa claro o valor do seu trabalho, e mostra que está fazendo uma exceção.Trabalhar por nada só íra deixar que no próximo serviço você pode trabalhar por pouco

girl with big heartCaridade ou instituições sem fins lucrativos
Pode ser uma razão para fazer um trabalho sem cobrar, mas tem que ficar de olho!

1. Através de uma agência: Se o trabalho vai ser feito através de uma agência, descubra se a agência está cobrando pelo trabalho. Se tem dinheiro para pagar a agência, tem dinheiro para pagar a produtora! Mesmo assim cuidado para não trabalhar de graça e deixar o nome da agência aparecer como benfeitora!
2. Sem fins lucrativos não quer dizer sem dinheiro: Instituições de caridade muitas vezes são empresas grandes com centenas de funcionários, sedes, equipamento, etc. O fato de uma empresa trabalhar pelo bem de outras pessoas com mais necessidades não dá imediatamente a elas o direito de pedir que outros trabalhem também.
3. Empresas que realmente precisam: depois de descartar os dois casos acima, saiba que existem organizações que realmente precisam de ajuda e nas quais as pessoas realmente doam seu tempo e esforço pelo bem-estar de outras em pior situação. Se este é o caso, faça sua boa ação e ajude!
4. Você se identifica com a causa: Se você sente que deve ajudar, lógico, vá em frente. Trabalhar por uma causa com a qual se identifica pode fazer mais bem para sua mente e para seu coração do que qualquer outro trabalho vai fazer pelo seu bolso.

curious friends looking at laptop computer monitor togetherAmigos

1. A empresa em que o amigo trabalha: É comum que empresas peçam a seus funcionários que descubram amigos que estão precisando de trabalho e exploram a situação para economizar.
2. Esse amigo trabalharia de graça pra você? Esta é uma questão importante, muitas vezes seu amigo tem uma empresa que fabrica produtos ou presta serviços mas nunca te daria um produto ou prestaria o serviço a você de graça.
3. É um amigão de verdade: Se o cara é um amigo que não aparece só quando precisa, de quem você realmente gosta, e não tem dinheiro envolvido na parada, manda ver!
4. Projeto em conjunto: Se você está num grupo que está trabalhando para criar uma obra em conjunto (um curta metragem por exemplo) que vai servir de portfolio, exposição, experiência (reais) e lógico diversão, vai fundo!

Happy family celebratingFamília

1. Diga não: Existem centenas de motivos para não fazer negócios com família (principalmente de graça). A relação fornecedor/cliente onde se mantém respeito profissional é muito diferente da relação entre familiares onde o excesso de intimidade pode causar problemas. Se você tiver problema com um cliente não precisa olhar para a cara dele novamente. Seu cliente não sabe aonde você mora para pedir uma refação 10 horas da noite. A lista é interminável 🙂
2. Mãe: se for para sua mãe, você faz, por que como já dissemos no começo do vídeo, ela já trabalhou muito por você!

Portrait of a crying nerd. Isolated on white.E quando trabalhar de graça é inevitável?

Se depois de todas estas dicas você decidiu trabalhar de graça, tome estas precauções:
Liberdade Criativa
Se você vai trabalhar sem cobrar para fazer o que gosta, faça do jeito que gosta e crie algo do qual possa realmente se orgulhar.
Coloque limites claros (dizer de antemão antes de aceitar o trabalho)
1. quantas horas do seu tempo pode alocar para o trabalho
2. até quando vai aceitar que mandem material, roteiros, etc.
3. quantidade de refações ou versões que está disposto a fazer depois do trabalho estar completo
O que eu posso ganhar com isso?
Pode parecer mesquinho, mas se alguém está te pedindo algo de graça, tente descobrir como isso pode te ajudar. Seu logotipo como patrocinador de uma entidade assistencial, por exemplo, é algo legal para mostrar para futuros clientes.

 

Você já trabalhou de graça? Valeu a pena?
Nos diga nos comentários!

 

Deixe seu comentário

comentários

Back to top
[i]
[i]